UA-190766377-1
 

5 super dicas de como negociar dívidas bancárias com sucesso



Quando se trata de dívidas bancárias, muitas pessoas ficam paralisadas e não sabem como agir. Isso é compreensível, afinal, lidar com dinheiro é algo delicado e, quando o assunto é dívida, a pressão aumenta. No entanto, é importante lembrar que você não está sozinho nesta luta. Existem muitos recursos disponíveis para ajudá-lo a negociar sua dívida bancária com sucesso.




Dica 1: Conheça seus direitos e deveres

De acordo com o site do Banco Central do Brasil, os devedores de dívidas bancárias têm o direito de:

  • Receber informações claras, completas e em linguagem acessível sobre o empréstimo contraído;

  • Ter acesso às informações sobre o valor total da dívida, os juros cobrados, as datas de vencimento das parcelas e quaisquer outros encargos;

  • Negociar diretamente com o banco condições mais favoráveis para o pagamento da dívida;

  • Receber orientação gratuita sobre procedimentos para renegociação de dívidas junto ao Serviço de Proteção e Defesa do Consumidor (SDP); e

  • Recorrer à Justiça em caso de descumprimento dos direitos aqui garantidos.


Dica 2: Saiba o que pode ser negociado

Existem basicamente três coisas que podem ser negociadas em dívidas bancárias: o montante total da dívida, a taxa de juros e o prazo para o pagamento. Antes de iniciar qualquer negociação, é importante saber exatamente quais são os seus objetivos. Isso irá ajudá-lo a chegar a um acordo que seja vantajoso para você.


Dica 3: Entenda como funciona o processo de negociação

Quando você está negociando dívidas bancárias, é importante compreender como o processo funciona. Isso lhe dará uma vantagem na negociação e ajudará a evitar erros que podem custar caro. Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a compreender o processo de negociação de dívidas bancárias:


Saiba qual é a sua capacidade de pagamento e siga-a. Se você estiver tentando negociar uma dívida maior do que o seu limite de pagamento, poderá ter dificuldades para fazer uma oferta aceitável para o banco e conseguir pagar o que de fato é o mais importante. Portanto, antes de iniciar as negociações, certifique-se de saber qual é a sua capacidade de pagamento e siga-a à risca.


Ofereça pagar a dívida em uma única vez. Se você puder pagar a dívida em uma única vez, isso lhe dará mais flexibilidade na negociação. O banco poderá estar disposto a aceitar sua oferta se souber que você tem dinheiro suficiente para quitar a dívida de uma só vez. No entanto, se você não tiver essa opção, precisará considerar outras formas de pagamento, como parcelamento da dívida em vários meses.


Negocie com vários bancos. Se você tem dívidas em mais de um banco, considere negociar com cada um deles separadamente. Cada banco terá um processo e requisitos específicos para negociações bem-sucedidas, portanto, quanto mais informado você estiver sobre os requisitos dos bancos, melhor será sua posição na negociação.


Compreenda as taxas e juros cobrados pelos bancos. Antes de iniciar as negociações, verifique as taxas e os juros cobrados pelos bancos envolvidos na sua dívida. Isso lhe permitirá comparar as ofertas dos bancos e escolher a melhor negociação em um acordo. É importante notar que alguns bancos podem cobrar juros mais altos do que outros quando você optar por pagar a dívida em parcelas mensais, portanto, verifique todos os detalhes antes de tomar sua decisão final sobre qual banco escolher para realizar as negociações


Dica 4: Esteja disposto a comprometer-se com o pagamento da dívida

Quando você chega a um acordo com o seu banco para pagar sua dívida, é importante que você cumpra o que foi acordado. Você deve se comprometer a fazer os pagamentos mensais no valor e data acordados, porque uma vez que você deixa de cumprir o que foi pactuado aquela bola de neve pode voltar a crescer em proporções ainda maiores e de uma forma tal que você não mais consiga se livrar dela.


Você também deve informar o banco imediatamente se houver algum problema em cumprir o acordo, para que possamos chegar a uma solução conjunta, mas jamais “empurre com a barriga” isso pode trazer prejuízos irreparáveis.


Dica 5: Seja criativo na hora de negociar

Como você já deve saber, negociar dívidas bancárias pode ser uma tarefa difícil. Afinal, os bancos são empresas que geralmente estão interessadas em manter seus lucros intactos. No entanto, isso não significa que você não possa negociar sua dívida com sucesso. Uma alternativa é ser criativo na hora de negociar sua dívida bancária.


Muitas vezes, os atrasos nos pagamentos são causados por problemas temporários, como falta de dinheiro ou problemas no emprego. Fique atento em todas as circunstâncias que contribuíram para você chegar neste ponto, assim a negociação poderá ter outros contornos.


Para negociar um débito bancário com sucesso, é importante ser criativo. Isso significa pensar fora da caixa e tentar diferentes abordagens. Às vezes, o banco pode estar disposto a negociar se você for criativo. Por exemplo, você pode oferecer um balão dentro do plano de pagamento em troca de um desconto no saldo devido. Ou você pode pedir um plano de pagamentos diferente.


Seja criativo e veja o que funciona melhor para você.


Conclusão

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, negociar dívidas bancárias não é uma tarefa impossível de executar. Porém, requer planejamento, as dicas informadas neste texto te ajudarão a planejar e conseguir bons descontos em uma negociação com as instituições financeiras, porém contar com a ajuda de um especialista podem elevar exponencialmente as chances de sucesso nessa empreitada.


Não hesite em buscar auxílio profissional para resolver esse tipo de problema.


Fonte: Valdecir Rabelo Filho @vr.rabelo

 

Dr. Monteiro. Advogado, Professor, Mentor, Cientista Político, Especialista em Direito Público c/ Ênfase em Gestão, Especialista em Direito Eleitoral, Mestre em Direito das Relações Internacionais, Presidente da Comissão de Prática Jurídica da OAB/AM, atuando ainda nos órgãos federais e outras entidades da administração pública direta e indireta, formado em Administração e Direito, busca sempre aperfeiçoamento em suas áreas, conhece bem as dificuldades do empresariado e da população, por isto tem um notório conhecimento como consultor jurídico, administrativo e financeiro, tendo sido ainda gerente bancário por 05 (cinco) anos, bem como é Autor de diversas Obras Jurídicas.


Áreas de Atuação Jurídica

Direito Internacional, Consumidor, Eleitoral, Criminal, Empresarial, Administrativo, Bancário, Cível e Previdenciário.

 

Confira nossas Redes sociais:






Adquira nossos Livros:

















1 visualização0 comentário